PT | EN | ES

Confira as respostas da nossa
rede para os desafios do ODS
Energia limpa e acessível

Navegue por informações
qualificadas, boas práticas
e aprendizados sobre o tema.

Para selecionar
outros ODS,
Clique aqui

Sobre o ODS
Energia limpa e acessível

Este ODS está relacionado a esforços e iniciativas que visam garantir acesso à energia barata, confiável, sustentável e renovável para todos.

saiba mais

Leia

Nosso blog com artigos, reportagens e conteúdos exclusivos sobre o tema, produzidos por quem entende do assunto.

Desenvolvimento Verde, Parcerias Público-Privadas

Como as PPPs de impacto social podem contribuir para um futuro mais sustentável para o planeta

Do manejo de resíduos sólidos à geração de energia solar e proteção à barreira de corais, descubra como as parcerias público-privadas de impacto social estão moldando um caminho mais sustentável para o Brasil e o mundo.
16.02.24 Redação
Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Verde

Utilização de Energia Verde pioneira na América Latina chega a órgãos públicos do Rio de Janeiro

Utilização de Energia Verde pioneira na América Latina chega a órgãos públicos do Rio de Janeiro A adoção de eficiência energética em prédios públicos recebe atenção especial de diversos países por dar o exemplo no...
23.10.23 Regina Esteves
Meio ambiente e Sustentabilidade

Descarbonização como ativo de investimento sustentável

Segundo o dicionário de língua portuguesa, o verbo descarbonizar significa a ação de reduzir ou eliminar o carbono de uma fonte de energia. No cenário climático atual, entendemos “descarbonização” como o processo de redução a longo prazo das emissões antropogênicas de CO2 e gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera.
22.06.23 Redação
Combate à pobreza, Meio ambiente e Sustentabilidade

Giro da Rede Juntos

O Giro do Conhecimento é uma iniciativa semanal da Comunitas que visa compartilhar conteúdos sobre temas relevantes para nossa rede e tendências da gestão pública no Brasil e no mundo.
25.07.22 Redação

Aprenda

Trilhas de conhecimentos específicos, desenvolvidas por especialistas.
Formações rápidas, gratuitas e de qualidade, com certificação.

ODS 7
Energia limpa
e acessível

Navegue por informações
qualificadas, boas práticas
e aprendizados sobre o tema.

A garantia de recursos energéticos é imprescindível para a sobrevivência terrestre, execução do trabalho e as mais diversificadas atividades que um ser humano necessita desenvolver.

Há diferentes tipos de energia. Em oposição às formas tradicionais, está a energia limpa – considerada também renovável ou ecológica, como a solar e a eólica. O principal e mais importante ponto de divergência entre ambas está na redução dos impactos socioambientais e maior preservação de recursos naturais – tendo em vista que essa nova forma de energia é renovável, de origem orgânica e sem efeitos poluentes decorrente da queima de combustíveis fósseis – que interferem diretamente em gases do efeito estufa e no aquecimento global.

Para o alcance da meta de desenvolvimento sustentável, o ideal seria que houvesse uma transição energética a fim de melhorar a eficiência energética e proteger o meio ambiente. No entanto, para que o processo ocorra sem prejuízo às comunidades menos favorecidas é preciso atenção.

Realidade no Brasil e no mundo

O Brasil tem se empenhado para ampliar o uso das energias renováveis e já demonstra ser um país bastante avançado nesse quesito em comparação a outros – como por exemplo, a geração de energia eólica na região nordeste. Ademais, há o investimento na matriz energética para gerar eletricidade e atuar no nível de consumo de etanol em veículos automobilísticos.

Como destaque em território brasileiro, está a utilização de cana que – para além da produção do açúcar – também é utilizada para a geração de etanol. De acordo com a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), a substância foi capaz de atender 12 milhões de residências do Brasil e é responsável pelo abastecimento de quase metade da indústria automotiva brasileira. Outros materiais naturais também podem ser fonte de etanol, tais como o milho e a soja.

A realidade mundial em relação ao tema reflete em uma demanda de 65% combustíveis fósseis, 16% energia nuclear e 19% fontes renováveis. No entanto, existem projeções que apontam para uma redução considerável desses índices nos próximos anos (cerca de 80%).

Conheça as metas da ODS 7

7.1 até 2030, assegurar o acesso universal, confiável, moderno e a preços acessíveis a serviços de energia

7.2 aumentar substancialmente a participação de energias renováveis na matriz energética global, até 2030

7.3 dobrar a taxa global de melhoria da eficiência energética até 2030

7.a até 2030, reforçar a cooperação internacional para facilitar o acesso a pesquisa e tecnologias de energia limpa, incluindo energias renováveis, eficiência energética e tecnologias de combustíveis fósseis avançadas e mais limpas, e promover o investimento em infraestrutura de energia e em tecnologias de energia limpa

7.b até 2030, expandir a infraestrutura e modernizar a tecnologia para o fornecimento de serviços de energia modernos e sustentáveis para todos nos países em desenvolvimento, particularmente nos países menos desenvolvidos e SIDS

Boas práticas

Um exemplo de iniciativa pública a nível municipal é o Programa Municipal de Energia Limpa da Prefeitura da cidade de São Paulo que, recentemente, a partir de uma parceria público privada (PPP) uniu esforços para implementar a primeira fazenda solar da capital. A estrutura será um espaço de geração de energia renovável além de gestão e compensação da emissão de carbono. O projeto ainda carece de resultados, tendo em vista a sua atual execução (2023).

Já no âmbito federal, como iniciativa para o uso consciente de energia por aparelhos eletrônicos, foi implementado o Selo Procel de Economia de Energia pelo Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica do Governo Federal e executado pela Eletrobrás. O método recebeu parceria do órgão Inmetro, além de outros agentes reguladores.

Desde que foi implementado, apresenta resultados positivos na área energética. Confira aqui a lista completa!

No cenário mundial, a China é o país que mais se destaca. A cidade de Shanxi é o principal exemplo devido ao consumo de metade do carvão extraído internamente, fazendo uma verdadeira revolução energética na região – com usinas próprias que geram energia limpa e treinamento dos trabalhadores para executar tal tarefa. Em números, o carvão mineral é responsável por 60% da energia elétrica total.

Outros países também atuam com iniciativas voltadas ao objetivo, como o grupo empresarial francês ENGIE – que se tornou uma referência em energia e serviços de baixo carbono, com soluções sustentáveis. Em um de seus casos de sucesso, está o projeto de créditos de carbono do Conjunto Fotovoltaico Floresta – Banco Itaú que resultou na compensação de 86 mil toneladas de CO2 de suas emissões de gases de efeito estufa (GEE) entre 2016 e 2017.

 

Referências

Assegurar o acesso à energia limpa: o que significa o 7° objetivo dos ODS da ONU? | Energia renovável, preservação e economia | Estratégia ODS4 | Procel Info  | Conjunto Fotovoltaico Floresta – Banco Itaú | Cana gera energia elétrica para 12 milhões de residências no país | Equipamentos de saúde terão energia limpa | China tenta transformar ‘capital do carvão’ em meca da energia limpa