PT | EN | ES

Áreas com Ciências Comportamentais em comum

Publicado em: 17.02.23 Escrito por: Redação Tempo de leitura: 4 min Temas: Modernização da Administração
Voltar ao topo

Confira algumas das áreas em que um gestor público pode aplicar as Ciências Comportamentais a fim de melhorar a conduta do cidadão.

 

Apesar do comportamento ser objeto de estudo ainda recente para muitos, tal conhecimento tem obtido crescimento exponencial a ponto de tornar-se uma tendência. Há quem, por muito tempo, subestimou todo o tipo de estudo que não fosse objetivo ou alcançasse resultados palpáveis. Entretanto, os benefícios conquistados a partir do seu maior entendimento fez com que diferentes contextos pudessem ser campo de sua atuação.

Em nossa pesquisa sobre a abordagem, encontramos inúmeras boas práticas que só foram possíveis por conta dessa ciência. As múltiplas áreas contempladas estavam relacionadas com o âmbito fiscal, ambiental, da justiça e segurança, da saúde e bem estar, da alimentação, educação, tecnologia, caridade e voluntariado e, por último, emprego.

Viu só, como são vastas as possibilidades? Este não é mais um campo limitado e ganha força inclusive na gestão pública de territórios em situações bastante complexas e com populações miscigenadas. Isso porque, apesar de cada ser humano ser único e peculiar, este tende a agir de maneiras parecidas devido a mesmas motivações – sejam elas psíquicas, racionais ou emocionais.

Abaixo, vamos demonstrar pra vocês como cada boa prática foi implementada com a definição do objetivo, contexto (onde e quando), como ocorreu e – por fim – o resultado.

Receitas

Em relação às situações fiscais, o problema estava geralmente relacionado com a falta ou atraso na declaração de impostos. Tanto no Reino Unido quanto na Guatemala, a alternativa encontrada pelos governos locais foi lembretes por carta e até mesmo SMS. Estratégia utilizada em vários momentos de um período entre 2002 até 2018 – o que demonstra o efeito positivo (queda significativa no índice de inadimplência) independente do marco temporal.

Meio ambiente

A pasta do Meio Ambiente também moveu esforços para que a população se sensibilizasse com a sustentabilidade cada vez mais necessária em nosso cotidiano. O que a gestão pública pretendeu ao fazer uso das ciências comportamentais foi diminuir o desperdício de água e energia elétrica, além de aumentar a reciclagem. Em cidades da Austrália, Estados Unidos, Alemanha e Suécia essa transformação nos hábitos de consumo dos cidadãos ocorreu apenas com o fornecimento de informações sobre alternativas possíveis e mais conscientes. Os recursos naturais devem e podem ser utilizados, sem que haja perigo de escassez e consequências ambientais.

Aposto que você está sentindo falta de um exemplo brasileiro. Acertei? Então, vamos provar que é possível fazer intervenções pautadas nessa sabedoria em qualquer lugar do mundo.

Mobilidade urbana

No Rio de Janeiro, o setor em que o recurso foi utilizado foi o de Mobilidade Urbana. O objetivo da prefeitura era fazer com que os cidadãos apenas fizessem a travessia em locais seguros e, para isso, pintaram as vias – indicando o enlarguecimento das calçadas e em que altura é o ideal atravessar. Com apenas essa simples ação, houve redução de 57% do comportamento indesejado dos pedestres no período de maior tráfego da cidade.

Com as situações acima apresentadas, você pode ter estranhado não conhecer as ciências comportamentais antes – considerando que há tantas experiências reais em uma gama de localidades e governos atuantes. Mas, não se preocupe! Porque a Rede Juntos está produzindo conhecimento riquíssimo na área.

Aqui na plataforma já disponibilizamos outros textos sobre o assunto, um ebook com exemplos práticos e – em breve – uma trilha educacional.

Quer manter-se informado sobre como as ciências comportamentais podem te auxiliar na formulação de políticas públicas de sucesso e no engajamento dos cidadãos nas já existentes?

Baixe nosso ebook gratuitamente e faça parte do nosso grupo de WhatsApp.

O que você
achou desse
conteúdo?

Média: 4.6 / 5. Votos: 5

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar!

Compartilhe
este conteúdo:

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens relacionadas

Governança Compartilhada, Modernização da Administração

Governança Corporativa e Gestão Pública IX: Auditoria interna, Responsabilidade e Integridade

A avaliação do quanto a gestão contempla integridade, coerência dos objetivos, estratégias e riscos, transparência, equidade e accountability depende, numa primeira instância, do aprimoramento das regras e normas que orientam o trabalho das auditorias internas, para que esta possa avaliar se tudo está em conformidade com as leis: leis, muito mais que limites, podem ser vistas como orientação sobre como as coisas podem dar certo ou não.
21.06.24 Marcos Antonio Rehder Batista
Governança Compartilhada, Modernização da Administração, Planejamento Estratégico, Transparência e Combate à Corrupção

Governança Corporativa e Gestão Pública VIII: Accountability

A conquista da confiança da população por parte dos agentes públicos, no longo prazo, vai muito além da propaganda e de números; está muito ligada ao sentido que este dá a suas ações, às justificativas, à responsabilização sobre bons e maus resultados, inclusive em relação ao cumprimento de compromissos que assume com os demais agentes da esfera pública, que processo que chamamos em Governança de Accountability.
14.06.24 Marcos Antonio Rehder Batista
Atendimento ao Cidadão, Gestão de Pessoas, Governança Compartilhada, Modernização da Administração

Governança Corporativa e Gestão Pública VII: Equidade e sociedade civil organizada

Existem mecanismos fundamentais na gestão pública que viabilizam a Equidade na participação da sociedade civil organizada, como parcerias com terceiro setor e fortalecimento dos conselhos municipais. Governança é exatamente esta capacidade da Gestão de trazer os mais diversos atores para definição da agenda, elaboração e implementação de soluções
10.05.24 Marcos Antonio Rehder Batista

Lideranças com espírito público

Somos servidores, prefeitos, especialistas, acadêmicos. Somos pessoas comprometidas com o desenvolvimento dos governos brasileiros, dispostas a compartilhar conhecimento com alto potencial de transformação.