Laboratórios de inovação e o futuro da gestão pública

 

As mudanças sociais, econômicas e tecnológicas observadas nos últimos anos ao redor do mundo, combinadas com uma crescente desconfiança da população nos governos, levam cidadãos a demandar aos seus governos cada vez mais e melhores serviços públicos, novas possibilidades de participação nos processos de tomada de decisão e maior transparência. 
Governos estão sob grandes pressões para atender às demandas da população e os modelos tradicionais de gestão não são suficientes para integrar a diversidade de vozes e novos desafios da sociedade. Assim, governos têm buscado maneiras de se modernizar para fazer a transformação necessária da gestão pública para acompanhar as mudanças da sociedade e enfrentar problemas cada vez mais complexos. 
Nesse contexto, os Laboratórios de Inovação têm se consolidado como um caminho possível e muitos têm surgido na última década. Unidades de inovação no governo nascem para rever as formas de fazer e pensar políticas públicas e repensar o relacionamento entre governo e outros atores sociais importantes como cidadãos, academia, empresas e sociedade civil. 
Lab.Ges, Laboratório de Inovação na Gestão do Espírito Santo
Laboratórios de inovação são espaços que buscam criar e testar ideias e soluções a desafios de interesse público no intuito de melhorar a qualidade dos serviços públicos e assim transformar a administração pública. São espaços usados para tratar desafios públicos e sociais através de métodos experimentais e a cocriação entre as equipes multidisciplinares e o apoio de outros setores da sociedade, o que permite olhar problemas sob diferentes ângulos e criar soluções que não teriam oportunidade de surgir pelo caminho tradicional, promovendo assim uma nova cultura de governo.
Seguindo um movimento internacional de criar espaços dedicados à experimentar dentro da administração pública, diversas unidades de inovação surgiram nas três esferas do governo no Brasil. Cada laboratório de inovação é único e tem características próprias com ações adaptadas à realidade do governo em que está inserido e às prioridades estratégicas das lideranças e da gestão. No entanto, é possível identificar diferentes formatos de laboratórios de acordo com os objetivos definidos e os tipos de serviços oferecidos, conforme apresentado a seguir:
Tipo 1: Melhoria de serviços e solução de problemas
 Laboratórios que focam sua atuação na criação de soluções a problemas específicos e melhoria de serviços públicos. A depender do laboratório podem optar por olhar para desafios internos à administração, ou áreas fins setoriais ou espaço urbano. Essas unidades de inovação geralmente atuam como um escritório de projetos estratégicos cujo foco é explorar possibilidades, testar e validar ideias. São características importantes do funcionamento do lab a colaboração, experimentação e agilidade na busca por essas soluções.
Tipo 2: Engajamento de atores sociais
Laboratórios cujo foco é promover a colaboração entre o governo, cidadãos e outros atores sociais importantes como academia, sociedade civil, iniciativas privadas, na busca de soluções a problemas de interesse público. Nesta categoria, alguns laboratórios focam mais na participação cidadã no sentido de trazer o usuário do serviço público para o centro da tomada de decisão, enquanto outros focam mais na colaboração com o ecossistema de inovação local (startups, pesquisadores, etc.), ambos para a construção de soluções e melhorias dos serviços. Exemplos de ações incluem: concursos de ideias, programas de inovação aberta. 
Tipo 3: Transformação de cultura do governo
Laboratórios cujo objetivo é reforçar a cultura da inovação no governo para além do lab em si. O intuito é transformar a cultura de trabalho do governo por meio da transformação de processos, da construção de capacidades dos servidores, da valorização de saberes e da promoção de momentos de trocas e aprendizado. Exemplos de ações incluem: prêmios que reconhecem práticas inovadoras, criação de comunidades de práticas.
Tipo 4: Tecnologia e dados
Unidades de inovação cuja atuação foca principalmente na transformação digital da administração pública e na mudança de cultura que acompanha esse processo. De forma geral, os projetos fazem uso de ferramentas tecnológicas e incentivam o uso de dados para criação de soluções e embasar a tomada de decisão. Exemplos de ações incluem: organização de hackathons, digitalização de processos e serviços.
Boas práticas 
Exemplos de laboratórios de inovação em governo tanto fora do Brasil como internacionalmente são inúmeros. A seguir nomeamos alguns que podem inspirar suas administrações:
Laboratórios internacionais de referência incluem o Laboratorio de Gobierno do Chile, o  Laboratorio para la Ciudad, da Cidade do México (lab encerrado em 2018), o Futurs Publics, da França.
No Brasil, se destaca o Laboratório de Inovação do Governo Federal (GNova). O objetivo do GNova é fomentar o ecossistema de inovação brasileiro desenvolvendo projetos práticos de experimentação que criam soluções inovadoras e criativas para demandas públicas. O GNova tem três eixos de atuação: prospecção, disseminação e experimentação. 
Também cabe mencionar o Laboratório de Inovação em Governo (011).lab da prefeitura de São Paulo. Criado em 2017, o (011).lab é um espaço que busca estratégias para aproximar a gestão pública das pessoas, assim como aumentar a eficiência da administração municipal e a qualidade dos serviços prestados à população. O lab tem três frentes de atuação: desenhar e melhorar serviços públicos, mobilizar comunidades de prática de inovação pública e desenvolver capacidades para inovar em serviços.
Outro projeto que teve êxito é o LAB.ges, laboratório de inovação e governo desenvolvido pelo governo do Espírito Santo. Com foco nas pessoas, o escopo de trabalho do Laboratório envolve a colaboração e a cocriação envolvendo servidores públicos, sociedade, empreendedores, terceiro setor e academia. A ideia é que a administração tenha um olhar macro para as diferentes perspectivas, contribuindo com a criação de novas ideias e soluções para os desafios enfrentados. 
O Laboratório de Inovação e Dados do Governo do Ceará (Íris Lab) foi idealizado em 2020 para fazer a transformação digital do Governo do Ceará e desempenhar um papel estratégico no apoio às iniciativas de cultura de inovação e no uso da ciência de dados na administração pública. 
O estado de Goiás instituiu o laboratório de inovação Pequi Lab (Ponto de Encontro para Qualificação e União para Inovação). O objetivo do projeto é ter uma uma rede de melhorias de gestão no Governo, com conexão de servidores, órgãos, entidades e parceiros. Além disso, o laboratório conta com programas de certificação e capacitação contínua atrelados às funções estratégicas.
Recentemente, o município de Campinas (SP) anunciou a criação do Laboratório de Inovação em Gestão e Desenvolvimento Humano, denominado GestAÇÃO. A iniciativa busca ser um ambiente orgânico vivo, dinâmico e permanente de criação de ideias, estudos, pesquisas, projetos e trabalhos conjuntos para solução de desafios e problemas de interesse comum, a partir do foco nas pessoas que movem a administração pública, que propõem, criam ou se beneficiam da solução criativa ou inovadora: servidores e cidadãos. 
O laboratório tem três objetivos centrais: qualificação, para gerar mensuração e qualificação do servidor e do serviço público; engajamento, com intuito de estimular uma cultura de inovação e engajamento do servidor com o cidadão campineiro; e transformação, para fomentar propostas indutoras de transformação da sociedade com foco na cultura de paz e nos direitos humanos.
A ideia do laboratório foi construída durante e com apoio da Jornada Reforma Administrativa e Gestão de Pessoas, liderada pela Comunitas com apoio da Fundação Lemann. Clique aqui e saiba mais.
Quer saber mais? Confira os links de referência:
Ciclo de vida de laboratórios de inovação pública, Enap e (011).lab, 2020, https://repositorio.enap.gov.br/bitstream/1/5000/66/ciclos-labs_PT_digital.pdf 
Inovação no Setor Público: teoria, tendências e casos no Brasil, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), 2017 – disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=31178
Innovation for Better Management: the Contribution of Public Innovation Labs, InterAmerican Development Bank, 2016 – disponível em: https://publications.iadb.org/handle/11319/7874
Inovação e Políticas Públicas: superando o mito da ideia, IPEA, 2019, https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=34783&Itemid=444 
O marco legal dos laboratórios de inovação, WeGov, 2020 – https://wegov.com.br/marco-legal-dos-laboratorios-de-inovacao/
Gov Innovation Labs Constellation 1.0, Parsons Desis Lab, 2013, http://nyc.pubcollab.org/files/Gov_Innovation_Labs-Constellation_1.0.pdf

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *