Giro da Rede Juntos 09.09.2022

cesta com tomatesFoto por Elaine Casap | Unsplash 

No Brasil, hoje, aproximadamente 33,1 milhões de pessoas vivem com fome. A crise foi muito agravada pela pandemia do coronavírus, a qual estourou em março de 2020 no país, porém a temática sempre esteve presente no cotidiano brasileiro. Foi pensando nisso, que o Giro do Conhecimento de hoje é voltado para a disseminação de boas práticas que influenciam você, gestor, a combater a fome e acabar com a insegurança alimentar do povo brasileiro. Confira.

Agravada pela pandemia, fome avança no Brasil e atinge 33 milhões de pessoas, diz estudo (CNN Brasil)
Seis em cada dez famílias brasileiras estão passando por algum tipo de insegurança alimentar, tendo maior incidência nas regiões do norte e nordeste do país. Dos 33 milhões de brasileiros que vivem com fome, 65% dos lares são comandados por pessoas pretas e pardas. Para ler a matéria na íntegra, acesse aqui.

Subsecretaria de segurança alimentar e nutricional de Belo Horizonte (MG) (Prefeitura de Belo Horizonte)
A cidade de Belo Horizonte conta com uma Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional, a qual foi criada em 1993 através da aprovação de uma lei que garante o direito do cidadão à comida. Ela, demanda menos de 2% do orçamento anual da cidade e promove mais de 20 iniciativas que promovem a segurança alimentar de maneira sustentável. Para saber mais, clique aqui.

Quatro maneiras que cidades ao redor dos Estados Unidos estão lutando contra a fome (em inglês, State of Opportunity)
Uma das grandes crises enfrentadas no sistema de abastecimento nutricional dos Estados Unidos são os chamados food deserts (desertos de comida, em tradução livre). Os food deserts são, basicamente, locais onde a população tem dificuldade em obter alimentos frescos e saudáveis. Para acabar com o problema da fome, o State of Opportunity separou quatro boas práticas que as cidades destas regiões estão adotando. Para conferir, clique aqui.

Projeto cria Programa Municipal de Aquisição de Alimentos (Prefeitura de Porto Alegre)
Dentre os objetivos do projeto estão o incentivo à valorização e ao consumo dos alimentos produzidos pela agricultura familiar, urbana e periurbana sustentável, acesso à alimentação em quantidade, qualidade e regularidade necessárias às pessoas em risco de insegurança alimentar e nutricional, além de fortalecer circuitos locais e regionais e redes de comercialização. Para saber mais sobre a iniciativa, acesse aqui.

(LIVRO) Atlas das Situações Alimentares no Brasil: A disponibilidade domiciliar de alimentos e a fome no Brasil contemporâneo
O Atlas busca fornecer uma síntese, por meio da representação gráfica, cartográfica e textual das situações alimentares encontradas no país, que possa levantar questões e servir de referência para outras pesquisas, ou ainda como material de apoio para a atuação de conselhos de segurança alimentar e outras organizações ou instituições interessadas em enfrentar os problemas relacionados à alimentação. Faça o download aqui.

Sem comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.